sábado, 30 de janeiro de 2016

Fangirl - Resenha

Fangirl

Sinopse: "Cath ama os seus livros e a sua família. Haverá espaço para mais alguém? Todo o mundo é fã dos livros de Simon Snow. Mas Cath vai mais longe: ser fã desses livros tornou-se a sua vida. Ela e a sua irmã gémea, Wren, refugiaram-se na obra de Simon Snow quando eram miúdas, e na verdade foi isso que as salvou da ruína emocional que foi a perda da mãe. Ler. Reler. Interagir em fóruns, escrever ficção baseada na obra de Simon Snow, vestir-se como as personagens dos livros. Mas essas fantasias deixam de fazer sentido quando se cresce, e enquanto Wren facilmente abandona esse refúgio, Cath não consegue fazê-lo. Na verdade, nem quer. Agora que vão para a universidade, Wren não quer ficar no mesmo quarto de Cath. E esta fica sozinha e fora da sua zona de conforto. Partilha o quarto com uma miúda arrogante; tem um professor que despreza os seus gostos; um colega atraente mas que apenas fala sobre a beleza das palavras... e, ainda por cima, Cath não consegue parar de se preocupar com o seu pai, tão querido, frágil e solitário. A pergunta paira no ar: será que ela consegue triunfar sem que Wren lhe dê a mão? Estará preparada para viver a vida em seu nome? Escrever as suas próprias histórias? E se isso significar deixar Simon Snow para trás?"
Nome do livro: Fangirl
Nome da Autora: Rainbow Rowell
Editora: Chá das Cinco
Número de páginas: 446 páginas
Resenha: Fangirl é aquele livro que todo o mundo ama e que eu tinha medo de ser a única a não gostar, mas no final eu realmente gostei. 
Fangirl conta a história da Cath: uma rapariga completamente viciada em fanfics (de algo parecido com o Harry Potter) e que vai para a universidade. Tudo seria normal exceto por dois pequenos (grandes pormenores): a sua irmã gémea, Wren, quer afatar-se da ideia de que as gémeas partilham tudo e Cath tem de acabar a fanfic, sem a ajuda da irmã, antes de sair o último livro da série de livros do Simon que ela tanto adora. 
Apesar de ter mais de 400 páginas é um livro realmente rápido de se ler, e talvez também por isso ele seja tão amado, porque apesar de eu adorar o livro, eu não achei que fosse tão espetacular como todos dizem. 
Quanto às personagens, eu realmente gostei da Cath e identifiquei-me bastante com ela, mas a Wren passou 90% do livro a irritar-me e só melhorou lá mais para o final do livro depois de uma série de ações estúpidas e de palavras dolorosas para com os outros. 
Adorei o pormenor de o livro ser iniciado com uma página de Wikipédia sobre a série de livros do Simon Snow, achei uma ideia engraçada e original. 
No final de cada capítulo sobre a vida da Cath temos um excerto ou da série dos livros que a Cath adora ou da própria fanfic da Cath, e eu não sei se foi por a história do Simon ou a fanfic não me chamarem a atenção ou se por eu só estar a ler excertos de ambos, mas realmente a parte do Simon não foi uma parte que eu gostei, e quando ela estava a ler a fanfic eu achei chato e estava ansiosa que acabasse e voltasse para a vida dela, o que quer dizer que Carry On (a fanfic que ela escreve no livro e que a Rainbow Rowell lançou recentemente) não vai ser um livro que eu vou ler a não ser que realmente um dia me digam algo que me desperte a curiosidade. 
O Levi é uma personagem que todos me tinha elogiado, e eu realmente gostei dele... na maior parte do tempo. Houve algumas atitudes que também me deixaram um bocado desiludida com esta personagem, mas todos cometemos erros e a autora também deveria querer dar a entender isso. 
Apesar da autora desenvolver a história de uma boa forma, eu realmente já esperava basicamente tudo o que aconteceu, exceto na última página, essa parte eu realmente não esperava e foi a parte que eu mais gostei do livro todo, essas poucas linhas fez tudo valer ainda mais a pena. 
Quanto à edição em si está muito bem feita e devo dizer que a editora teve muita atenção aos pormenores, não encontrei nenhum erro muito grave na tradução e a capa e os pormenores da letra diferente para indicar o capítulo e das estrelinhas em cada excerto ficaram muito bem. 
Assim sendo, Fangirl é um livro realmente queridinho e divertido, não achei nada completamente novo mas é viciante e rápido de se ler, e recomendo sim. 
(4 em 5 estrelas)

Quotes/Melhores Momentos:
  • «Em situações novas, são sempre as regras mais manhosas as que ninguém se dava ao trabalho de nos explicar. (E as mesmo que não encontramos no Google.)» - Página 23
  • «Eu tenho esta cara porque estou viva (...) Porque vivi experiências.» - Página 75
  • «Por baixo deste verniz de ligeira loucura e mediano atraso social, sou um completo desastre.» - Página 192
  • «Não é permitido desistir de nada, de vez em quando? Não será permitido dizer "isto doeu mesmo, por isso vou deixar de tentar?"
    • -É estabelecer um precedente perigoso. 
    • Para evitar a dor?
    • Para evitar a vida.» - Página 253
  • «Não há nada mais inebriante do que criar algo do nada. Criar algo a partir de nós.» - Página 267
Discussão da ação do livro (com spoilers) AQUI

Sem comentários:

Enviar um comentário