terça-feira, 18 de agosto de 2015

A Relíquia - Resenha

A Relíquia

Sinopse: "A acção centra-se em torno de Teodorico Raposo – o protagonista e narrador.
Teodorico vivia com uma velha tia, rica e muito devota. Por influência de um amigo, Dr. Margaride, decide aproximar-se da tia e traçar uma estratégia para herdar a avultada fortuna da velha senhora. Para tal, mostra-se (falsamente) religioso e devoto.
Pede à tia que lhe financie uma viagem a Paris, mas esta recusa-se terminantemente afirmando que Paris era a cidade do vício e da perdição. A tia manda-o, então, numa peregrinação à Terra Santa."
Nome do livro: A Relíquia
Nome do Autor: Eça de Queirós
Editora: Europa-América
Número de páginas: 202 páginas 
Resenha: Sendo Eça de Queirós um dos maiores autores da literatura portuguesa, eu esperava muito deste livro e fui completamente dececionada.
O livro gira em torno de Teodorico Raposo, que vive com a sua tia, uma mulher irritante e demasiado devota que considera tudo pecado.
Mas pior do que a tia, é o Teodorico, que é tão manipulador que se torna desprezível. Pois ele passa o livro todo a dizer que a tia nunca mais morre e que ele está muito ansioso que isso aconteça, mas em frente à tia ele quase que parece um padre.
Além disto, ele apaixona-se depressa de mais, e quando se apaixona parece que não vê mais nada nem ninguém à frente.
O livro no geral não tem uma história que realmente vicie ou faça uma pessoa querer saber mais, na verdade, é uma história bastante chata e eu arrastei o livro imenso tempo.
Gostei sim do final, mas o resto do livro foi muito mau.
Sendo que eu já li os Maias do mesmo autor, neste livro ele parece um autor mais envelhecido e mais aborrecido, não há tanta ação, é um livro que arrasta muito.
Quanto a esta edição, devo dizer que é horrível para ler porque tem uma letra demasiado pequena que dá umas dores de cabeça terríveis e que parece que nunca mais passa.
Não é um livro que eu realmente recomendaria, mas imensa gente adora o livro, então podem sempre dar-lhe uma chance.
Boas leituras.

Quotes/Melhores Momentos:
  • «A ignorância é uma fogueira que devora o homem - alimentada pelas enganosas sensações de vida que os sentidos recebem das enganosas aparências do mundo.» - Página 11
  • «E a cruz realmente neste soberbo século pertence mais à ourivesaria do que pertence à religião.» - Página 92

Sem comentários:

Enviar um comentário